> <

Avaliação: Renault Duster Oroch têm fôlego limitado na versão 1.6

Quase uma exclusividade brasileira, as picapes derivadas de carros de passeio entraram em outro patamar com o lançamento da Oroch no ano passado. Subindo um degrau em relação à Strada, Saveiro e cia, a picape desenvolvida a partir do Duster chegou com atributos que vão além da capacidade real para cinco pessoas.

Renault Duster Oroch 1.6

A boa receptividade do mercado não demorou: a Oroch já figura entre os cinco comerciais leves mais vendidos do país, deixando para trás modelos como a Ford Ranger e até a Chevrolet Montana, menor e mais barata. Depois do teste do modelo com motor 2.0, o qual consideramos adequado à proposta, ficamos curiosos sobre o comportamento da picape na versão 1.6. Pois aqui está a versão intermediária Dynamique com motor “mileseis”.

Renault Duster Oroch 1.6

Produzida na fábrica de São José dos Pinhais (PR) e desenvolvida pela equipe latino-americana da Renault, a picape usa a plataforma do Duster com entre-eixos alongado: são 2.829 mm contra 2.674 mm do SUV, 155 mm a mais, o que garante o espaço necessário para a caçamba sem sacrificar a cabine.

Se o visual externo é bastante equilibrado (a picape parece ter sido projetada do zero, com destaque para a harmonia da parte traseira), a cabine é suficiente para cinco pessoas sem o aperto das pseudo-cabines-duplas compactas. Na mesma faixa de capacidade das pequenas, a caçamba possui 683 litros (1,17 metro de largura e 1,35 metro de profundidade), mas pode receber o extensor e ganhar 300 litros. Além disso, ainda está disponível o rack de teto, que suporta 80 kg. Falta, porém, a grade de proteção do vidro traseiro.

Renault Duster Oroch 1.6

A versão avaliada (Dynamique) estava equipada com ar-condicionado, direção hidráulica, conjunto elétrico (vidros, travas e retrovisores), sistema multimídia, sensor de ré e bancos de couro, entre outros itens. A cabine é a mesma do Duster – para o bem e para o mal.

Como vantagem, quem viaja atrás desfruta de bom espaço para pernas e cabeça, ainda que a inclinação da banco seja mais vertical em relação ao Duster. Cintos de três pontos e apoio de cabeça para todos estão presentes desde a versão de entrada. Assim como no SUV, o ponto negativo fica por conta da simplicidade no acabamento, que usa plásticos rígidos de aspecto barato e com rebarbas aparentes.

Renault Duster Oroch 1.6

Rodando na cidade na maior parte do tempo, a Oroch 1.6 não decepcionou. Apesar da direção hidráulica ser um pouco pesada, não é lenta nos desvios. Considerando a proposta, a suspensão foi muito bem acertada para equilibrar conforto e comportamento dinâmico. O rodar é macio, a carroceria não balança muito e a picape ainda segura muito bem nas curvas – melhor até que o próprio Duster.

Parte do mérito vem da configuração de suspensão, que é independente multilink com molas helicoidais na traseira (conceito superior ao eixo de torção com feixe de molas) e da estrutura mais reforçada, que resulta em menor torção da carroceria. É ótima na buraqueira nacional e mostra robustez em pisos ruins ou mesmo estradinhas vicinais.

Renault Duster Oroch 1.6

Fácil de dirigir, a picape só requer um pouco mais de atenção nas manobras em marcha a ré, algo normal em veículos desse tipo. No caso do modelo testado, que estava equipado com sensor de ré, isso não foi um problema.

Falando de desempenho, o motor 1.6 litro é contido. Lançado em meados da década de 1990, este propulsor ganhou tecnologia flex e foi rebatizado como K4M Hi-Flex. Possui bloco em ferro fundido, comando duplo, 16 válvulas e entrega 115 cv de potência e 15,9 kgfm de torque a 3.750 rpm com etanol.

Renault Duster Oroch 1.6

Em uso urbano não chega a irritar, mas ela demora a embalar nas retas e sofre nos aclives – lembra a tocada de um sedã 1.0. Com quatro ocupantes a falta de força já fica evidente (sem levar em conta a carga extra que pode ser levada na caçamba). Ao encarar subidas com o ar ligado (não precisa ser uma ladeira íngreme) a primeira marcha é frequentemente requisitada.

Apesar disso, o câmbio de cinco marchas está bem escalonado. O que não ajuda são os engates mais secos e imprecisos (principalmente na marcha a ré) que na boa caixa manual de seis marchas que equipa as versões 2.0.

Renault Duster Oroch 1.6

Na estrada, a Oroch fica um pouco mais disposta, pois o propulsor 1.6 16V rende melhor em altas rotações. Repetindo o bom comportamento dinâmico da cidade, a picape também agradou pelo baixo nível de ruído na cabine. Mesmo a 120 km/h, o ronco do motor e os ruídos de rodagem são bem contidos.

Durante nossa avaliação, o consumo urbano ficou na marca dos 7,2 km/l com etanol. Em rodovia a média foi a 10,5 km/l. Como de costume, números um pouco melhores que os divulgados pelo Inmetro: cidade, 9,6 km/6,6 km/l e estrada, 10,9/7,5 km/l, com gasolina/etanol, respectivamente. 

Renault Duster Oroch 1.6

Em termos de preço, a configuração 1.6 16V Dynamique (R$ 66.790) briga com as versões mais equipadas das picapes pequenas, como a Fiat Strada Adventure 1.8 16V (R$ 68.020) e Volkswagen Saveiro Cross 1.6 16V (R$ 68.590). Perde no desempenho, mas no geral é bem mais versátil e confortável que as rivais.

Renault Duster Oroch 1.6

Vale dizer, porém, que a Oroch 1.6 deve ser considerada apenas para cargas leves, como levar as bicicletas da molecada até o parque ou as pranchas até a praia. Se a ideia for levar “brinquedos” mais pesados, como motos ou jet-skis (usando o extensor), considere os R$ 4 mil extras (R$ 70.790) cobrados pela versão 2.0 – modelo que, aliás, terá novidades como câmbio automático e tração 4×4 em 2016 para responder à chegada da Fiat Toro, próxima atração deste segmento promissor.

Texto e fotos: Julio César

Ficha Técnica: Duster Oroch 1.6 16V Dynamique 2016

Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros, 16 válvulas, 1.598 cm3, gasolina/etanol; Potência: 110/115 cv a 5.750 rpm; Torque: 15,1/15,9 kgfm a 3.750 rpm; Transmissão: manual de cinco marchas; Direção: hidráulica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e independente MultLink na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e tabmores na traseira, ABS; Rodas: liga-leve aro 16″ de liga leve; Pneus: Michelin LTX Force 215/65 R16; Peso: 1.292 kg; Capacidades: volume da caçamba 683 litros, carga útil 650 kg, tanque 50 litros; Dimensões: comprimento 4.693 mm; largura 1.821 mm; altura 1.695 mm; entre-eixos 2.829 mm; ângulo de entrada 26º, ângulo de saída 19,9º, altura livre do solo 2.016 mm

Fonte: http://carplace.uol.com.br/avaliacao-renault-oroch-tem-folego-limitado-na-versao-1-6/

 

Renault Duster Oroch 1.6

Anterior1 de 49Próximo
 

Galeria

Nenhum comentário foi encontrado. Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu Comentário


Conectados 2019 - Confira a 3° edição do evento!

    Aconteceu no último dia 21 a 3ª edição do evento Conectados, que reuniu os 50 principais fornecedores da Barros Autopeças em comemoração aos 50 anos da empresa.    Além…

leia mais...
Pescaria Barros 2019
Pescaria Barros 2019
05 de novembro de 2019

    Em junho deste ano lançamos a “Pescaria 2019 - Vai Ter Briga Boa”, campanha da Barros que levou os 24 melhores clientes participantes para passarem cinco dias pescando no…

leia mais...
Outubro Rosa - Atenção com você!

    Chegamos a mais um mês de outubro e, como de praxe, a Barros se dedica a aderir à campanha do Outubro Rosa junto com outras milhares de instituições brasileiras. A campanha…

leia mais...
Confira como foi a 2° Edição do Arraiá Barros

    O Núcleo de Eventos da Barros foi a sede do 2º Arraiá da empresa.    Realizada no último dia 20, entre os convidados do evento estavam clientes lojistas…

leia mais...
Comentários Recentes

Trabalhe Conosco

Com o seu talento e competência
como combustíveis, você vai ajudar
a guiar uma empresa sólida e
ambiente de trabalho profissional.
Faça parte da nossa equipe.

Eu quero

Quero ser Cliente

Venha ser um cliente Barros Autopeças
e ter a disposição um dos portfólios
de peças mais completos do país,
promoções exclusivas e uma equipe
pronta à ajudá-lo no que for preciso.

Eu quero
scroll up