> <

Bosch, fornecedor Barros, celebra 40 anos da sonda lambda

A Bosch, uma líder mundial no fornecimento de tecnologias e serviços, foi pioneira no desenvolvimento da sonda lambda, também conhecida como sensor de oxigênio, um componente veicular que completa 40 anos em 2016.

Esta invenção teve papel primordial na indústria automotiva no desenvolvimento de carros mais limpos e eficientes. Neste ano comemorativo, a meta da empresa é atingir o marco de mais de 1 bilhão de sondas produzidas em suas plantas.

A sonda lambda, que começou a ser produzida em série pela Bosch em 1976, passou a ser um dos sensores mais importantes do sistema de injeção dos veículos, pois é o único capaz de reconhecer a composição da mistura ar e combustível – gasolina, álcool ou diesel – para controlar a quantidade injetada e garantir uma composição otimizada da mistura.

Testes comprovam que uma sonda em bom estado de conservação economiza até 15% no consumo de combustível, melhora o desempenho do motor, além de colaborar com a preservação ambiental, pois atua junto com o catalisador para a emissão de níveis mais baixos de poluentes na atmosfera.

Atualmente, a Bosch fabrica 50 milhões de sondas lambdas por ano que são direcionadas para os mercados original e de reposição. Em 2014, a empresa passou a produzir o componente localmente em sua planta matriz, em Campinas, no interior de São Paulo.

Aplicações – Para o mercado de reposição, a Bosch tem um programa de sonda lambda original, com conectores específicos por montadoras para proporcionar mais agilidade e assertividade no momento da troca. Além disso, os modelos originais atendem 100% dos requisitos dos fabricantes de automóveis.

A empresa também conta com um programa complementar com nove modelos de sondas universais para máxima cobertura do mercado, que foram desenvolvidos considerando os diferentes elementos sensores e potências térmicas de cada marca e modelo de veículos.

Manutenção – A durabilidade deste componente é grande quando o veículo apresenta condições de manutenção favoráveis e quando é abastecido com combustível de qualidade.

Contudo, para garantir seu bom funcionamento, a Bosch recomenda a revisão do sistema a cada 30 mil quilômetros, já que sonda lambda defeituosa não informa os dados corretamente a central eletrônica de comando e todo o sistema de injeção eletrônica perde a eficiência.

Fonte: Mecânica Online

Galeria

Nenhum comentário foi encontrado. Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu Comentário


Uma Páscoa para ser lembrada: Barros Autopeças faz a diferença para pessoas carentes

A Páscoa pode ser considerada o feriado favorito dos chocólatras, mas além de ser uma excelente desculpa para fugir da dieta, também pode ser utilizada para praticar a solidariedade. Na última semana,…

leia mais...
Passo a passo: teste de sistema de injeção eletrônica

 A injeção eletrônica serve para melhorar o funcionamento do carro, diminuindo a emissão de poluentes e contribuindo para que o combustível seja mais bem utilizado. No entanto, é preciso testar…

leia mais...
Alemanha autoriza cidades a proibir carros a diesel

Por William BostonUma corte da Alemanha decretou ontem a morte de certos carros movidos a diesel, num golpe para a importante indústria automobilística do país, que agora será forçada a gastar bilhões…

leia mais...
Bom ambiente mantém saúde do balconista e aumenta produtividade!

De acordo com especialista, cultura de humanização e a compreensão das subjetividades não se opõem à busca pelo lucro. Às vésperas do Dia do Balconista de Autopeças, o Novo Varejo foi em…

leia mais...
Comentários Recentes

Trabalhe Conosco

Com o seu talento e competência
como combustíveis, você vai ajudar
a guiar uma empresa sólida e
ambiente de trabalho profissional.
Faça parte da nossa equipe.

Eu quero

Quero ser Cliente

Venha ser um cliente Barros Autopeças
e ter a disposição um dos portfólios
de peças mais completos do país,
promoções exclusivas e uma equipe
pronta à ajudá-lo no que for preciso.

Eu quero
scroll up