> <

Passo a passo: teste de sistema de injeção eletrônica


 A injeção eletrônica serve para melhorar o funcionamento do carro, diminuindo a emissão de poluentes e contribuindo para que o combustível seja mais bem utilizado. No entanto, é preciso testar esse sistema em seu Fiat Palio (ou qualquer outro modelo de carro) para garantir que está funcionando corretamente.

A verdade é que em breve os carros com carburador vão deixar de existir, ao passo que a injeção eletrônica ganhará espaço e estará presente em todos os veículos.

Entenda agora como é feito o teste de sistema de injeção eletrônica e o que é utilizado para verificar se está funcionando como o esperado:

 

1 – Observação de sintomas apresentados

 

Assim como acontece com o corpo humano, os carros que possuem injeção eletrônica apresentam também sintomas quando algo não vai funcionando bem.

Isso significa que o primeiro passo do teste de sistema de injeção eletrônica é observar quais são os sintomas apresentados. Perda da potência, aceleração anormal e aumento no uso do combustível são alguns dos principais sinais de que algo está errado com o veículo.

 A boa notícia é que esses fatores podem ser observados pelo próprio proprietário, antes mesmo de levar o carro para passar por uma bateria de testes.

 Se você notou esses sintomas em seu Fiat Uno, o melhor é levá-lo o quanto antes ao mecânico.

 

2 – Uso do scanner e outras ferramentas

 

O scanner automotivo é muito importante para verificar se a injeção eletrônica está funcionando corretamente.

Imagine que essa peça do seu carro é como o cérebro humano. Então, se há sinais de que algo não está bem, é preciso de uma tomografia computadorizada, certo? Isso, no nosso caso, é claro.

Nos carros é usado o scanner, que consegue ter acesso a valores e dados de tudo que é controlado pela injeção eletrônica. Estes dados são então comparados com parâmetros pré-estabelecidos para cada modelo de veículo. Assim são identificadas quaisquer anomalias no motor do seu carro e a partir daí é possível saber exatamente o que precisa ser trocado ou corrigido.

 Antes mesmo de passar pelo scanner, o veiculo dá sinais a seu proprietário de que não está funcionando dentro dos parâmetros normais. Pode acender uma luz no painel, que tem o desenho de um motor, indicando que algo está errado.

 O carro segue funcionando, mas irá fazer algumas adaptações para conseguir se manter andando. Isso significa que você pode observar então os sintomas do tópico anterior, como consumo aumentado de combustível, aumento da emissão de poluentes, marcha lenta muito baixa, perda da potência e até mesmo falhas de funcionamento.

 

3 – Uso do multímetro para teste dos sensores

 

Quando o carro chega a oficina para uma verificação de rotina ou porque já mostrou em seu painel que há algo errado com seu funcionamento, são feitos outros testes depois do scanner.

 Dentre eles está o uso do multímetro, para verificar como estão os sensores do veículo. Esses estão distribuídos em algumas partes do motor e são responsáveis por observar se tudo está funcionando dentro dos parâmetros estabelecidos para o modelo do carro.

 São os sensores que enviam informações para o módulo de controle e a partir disso é possível que o veículo deixe de funcionar normalmente. O objetivo de testá-los durante uma revisão é para verificar se o problema como um todo não está no sensor.

 O multímetro então verifica se há continuidade da corrente elétrica quando os sensores são removidos. Em seguida é preciso que seja conferida a resistência dos sensores, que devem estar de acordo com o descrito no manual.

 Se estão fora do padrão ou há indício de curto circuito, a peça precisa ser substituída e pode ser a responsável por o sistema de injeção eletrônica estar apresentando os sintomas descritos no primeiro tópico.

 

4 – Verificação dos atuadores

 

Atuadores são os componentes do carro que executam a ação. Ou seja, eles recebem a orientação e então alimentam e queimam o combustível do carro para que o mesmo possa se locomover.

 Os atuadores também fazem parte do sistema de injeção eletrônica e se fizéssemos uma comparação com o corpo humano, seriam algum órgão do corpo. Precisam ser verificados, principalmente em sua resistência para identificar se o problema não se encontra ali. O multímetro também pode ser utilizado para verificação desses componentes.

 Na bomba de combustível é indicado que seja verificado também a pressão de saída deste, que deve estar sempre entre 2,5 e 3 bar. Para a conferência da pressão de saída do combustível é utilizado então um aparelho chamado manômetro.

 Caso haja alguma discrepância em algum desses componentes, devem ser trocados e substituídos para que o sistema de injeção eletrônica volte a funcionar normalmente.

 

5 – Scanner da unidade de controle

 

Pense na unidade de controle como um cérebro para o veículo. O que significa dizer que é preciso que também seja testada e verificada. Para isso o scanner é o aparelho utilizado.

Esse aparelho irá mostrar todos os dados de funcionamento das peças do carro que são parte do sistema de injeção eletrônica e são controladas pela unidade de controle.

Os dados são então comparados com parâmetros de fábrica e se há algo que não bate, a correção e os reparos são feitos também com a ajuda do scanner.

É importante que essa etapa seja a última realizada, pois apesar de seu Chevrolet Celta apresentar problemas que indiquem algo errado na injeção eletrônica, estes podem estar localizados em outra parte do sistema que não a unidade central.

 Se após testes e trocas das etapas anteriores, o veículo continua apresentando valores fora dos parâmetros pode ser que o problema esteja na unidade central e aí apenas o scanner automotivo irá ajudar não apenas na identificação como também na resolução dessa falha.

Como você pode ver, o teste do sistema de injeção eletrônica passa por várias etapas, de forma a verificar todos os componentes do veículo que venham a apresentar algum problema e que interfiram no funcionamento normal do seu carro.

Isso significa dizer que é importante estar sempre atento aos sinais que o veículo apresenta e levá-lo para constantes revisões de peças.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Não deixe de compartilhar com seus amigos!

Galeria

Comentários

  1. Juarez| 24/08/2018

    Sugiro aos amigos que, e sempre bom dar exemplos práticos e contenham vídeos para poder ficar melhor as explicações. Sem mais muito obrigado pela atenção .

Deixe seu Comentário


Novembro Azul - Prevenir-se é não ter medo

Assim como o mês de outubro é marcado pela cor rosa e coloca em pauta a prevenção ao câncer de mama, novembro é marcado pela cor azul e tem como foco o combate, conscientização e prevenção ao…

leia mais...
Junta Homocinética: Tudo o que você precisa saber para fazer a troca de maneira  correta

Quem está envolvido com o universo automotivo sabe que a invenção da junta homocinética foi uma enorme revolução para o mercado. A peça foi também uma das responsáveis pela popularização da…

leia mais...
Barros Autopeças realiza primeiro Arraiá para clientes

No dia 04 de agosto, a Barros Autopeças (filial Mogi Mirim) realizou seu primeiro Arraiá para clientes. A festa é uma adaptação, do tradicional Arraiá da Lauto que, por sua vez, está na 4° edição.…

leia mais...
Uma Páscoa para ser lembrada: Barros Autopeças faz a diferença para pessoas carentes

A Páscoa pode ser considerada o feriado favorito dos chocólatras, mas além de ser uma excelente desculpa para fugir da dieta, também pode ser utilizada para praticar a solidariedade. Na última semana,…

leia mais...
Comentários Recentes

Trabalhe Conosco

Com o seu talento e competência
como combustíveis, você vai ajudar
a guiar uma empresa sólida e
ambiente de trabalho profissional.
Faça parte da nossa equipe.

Eu quero

Quero ser Cliente

Venha ser um cliente Barros Autopeças
e ter a disposição um dos portfólios
de peças mais completos do país,
promoções exclusivas e uma equipe
pronta à ajudá-lo no que for preciso.

Eu quero
scroll up