> <

Diferença de rotação entre motores com mesmo número de cilindros

A rotação de um motor chama atenção de alguns quando é comparada entre motores de mesmo número de cilindros, mas com giros bem diferentes, tal como um carro quatro cilindros em comparação com uma motocicleta de propulsor com a mesma quantidade de pistões.

As diferenças, no entanto, não estão relacionadas com o número de cilindros, mas com as massas alternativas e rotativas, que compõem o tamanho do propulsor, assim como relação entre diâmetro e curso dos pistões, atrito de peças e componentes internos, gerenciamento da mistura de admissão e escape dos gases e do sistema de alimentação.

O projeto dos motores é fundamental para se determinar até aonde eles vão. Um V8 de F-Indy, por exemplo, atinge em média 10.000 rpm. Um V8 usado antigamente na F-1, por exemplo, atingia 18.000 rpm. Em motos, a rotação tende sempre a ser maior por conta do menor torque exigido.

Muitos propulsores de quatro cilindros desse segmento têm rotações bem acima de 10.000 rpm, por exemplo. Como a cilindrada é baixa, não há necessidade de um torque elevado, por isso as rotações são bem altas. Em motores a combustão, a potência é o torque multiplicado pela rotação do motor. Assim, o giro precisa ser elevado para se obter uma potência adequada.

Caso interessante é a comparação entre as motos Honda CB500X e NC750X. Ambas com dois cilindros, a primeira tem rotações de 8.500 rpm e 7.000 rpm para potência e torque máximos, enquanto a segunda – que prioriza a força em baixas rotações – funciona praticamente como um automóvel tendo assim 6.250 rpm e 4.750 rpm, respectivamente. Mas a rotação mais elevada em motos do que em automóveis não é uma regra.

A gigantesca Honda GL1800 Goldwing tem seis cilindros e faz o mesmo com 5.500 e 4.000 rpm, respectivamente. Para efeito comparativo do número de cilindros, o Accord V6 precisa de 6.200 e 4.900 rpm para obter potência e torque máximos. Ou seja, a motocicleta estradeira tem propulsor com quase metade do volume (cm3) do sedã de luxo e funciona em rotações mais baixas.

Fonte: Revista Quatro Rodas

Galeria

Nenhum comentário foi encontrado. Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu Comentário


Como estabelecer preços competitivos e lucrativos para a sua mecânica

Fazer o gerenciamento do seu negócio, demanda muitas responsabilidades, mas definir preços competitivos e garantir uma margem de lucro saudável requer uma abordagem mais estratégica, especialmente…

leia mais...
Conheça o Programa Jovem Vendedor da Barros com foco na capacitação de jovens aprendizes

A Barros Autopeças iniciou o Programa Jovem Vendedor, uma iniciativa dedicada a capacitar e profissionalizar jovens aprendizes com o intuito de prepará-los para atuar no campo das vendas. Com cinco…

leia mais...
Barros Autopeças é reconhecida com o prêmio SKF Awards

A Barros Autopeças, distribuidora de linha leve com mais de 50 anos de história no setor automotivo, conquistou dois troféus do prêmio de "Distribuidor Destaque SKF Awards 2023" concedido pela SKF,…

leia mais...
Barros Autopeças celebra o ano de 2023 e seus 54 anos juntos dos colaboradores!

Comemorar nunca é demais, não é mesmo? Por isso, fizemos questão de confraternizar muito por aqui! Durante o mês de janeiro, as filiais de Araxá, Bauru, Belo Horizonte, Campinas, Curitiba, Mogi…

leia mais...
Comentários Recentes

Trabalhe Conosco

Com o seu talento e competência
como combustíveis, você vai ajudar
a guiar uma empresa sólida e
ambiente de trabalho profissional.
Faça parte da nossa equipe.

Eu quero

Quero ser Cliente

Venha ser um cliente Barros Autopeças
e ter a disposição um dos portfólios
de peças mais completos do país,
promoções exclusivas e uma equipe
pronta à ajudá-lo no que for preciso.

Eu quero
scroll up