> <

Chevrolet Kadett GS, o esportivo nato que a General Motors trouxe para o começo de uma nova década

Brasil, década de 1980. Em meio ao caos da hiperinflação, mercado fechado e o vai e vem de moedas, o setor automotivo era um dos mais prejudicados pela desordem nacional. Num tempo em que não havia concorrência de modelos importados os fabricantes instalados em solo verde e amarelo se davam ao luxo de fazer meros retoques cosméticos e de acabamento em seus veículos. Nessa época era muito comum a mídia especializada dar destaque a uma nova calota, faróis redesenhados e painel com grafismo diferenciado, que davam um alento aos entusiastas automotivos.

O cenário estava prestes a mudar no início de 1989. A General Motors, que está instalada no Brasil desde 1925, na ocasião podia ser considerada a fabricante mais conservadora. Naquele período havia lançado apenas três carros – Opala, Chevette e Monza. Mas o panorama estava prestes a se alterar com a chegada de um modelo que iria revolucionar o mercado. A mídia especializada já sabia que se tratava do Kadett, modelo desenvolvido pela subsidiária alemã Opel. Tanto que antes mesmo do lançamento o modelo já havia ilustrado a capa das principais revistas automotivas. 

Para desenvolver o Kadett a GM investiu o montante de 220 milhões de dólares na planta localizada na cidade de São José dos Campos, interior de São Paulo, e quatro anos de pesquisas e desenvolvimento para a adaptação do modelo à realidade brasileira. Apresentado em abril de 1989, já no final daquele mês foi disponibilizado ao mercado, quebrando um jejum de cinco anos consecutivos sem o lançamento de uma linha de automóveis inédita no país. Além disso, o Kadett preenchia uma lacuna entre o Chevette e o Monza. Entre os concorrentes diretos havia o Ford Escort, contemporâneo do novo Chevrolet na Europa. 

Com a vinda do Kadett a Chevrolet ousou em trazer um modelo inovador em termos estéticos e aerodinâmicos, além disso nós brasileiros estávamos em compasso com os europeus. Para a General Motors também era o primeiro passo para uma leva de novos lançamentos que ela faria seguidamente nos anos subsequentes ao lançamento do Kadett. 

Fonte: Oficina Brasil

Galeria

Nenhum comentário foi encontrado. Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu Comentário


Saiba mais sobre o portfólio e a marca própria da Barros Autopeças

A história da Barros Autopeças começou em 1956 num pequeno posto de gasolina com a venda de combustível e lubrificantes. Mais tarde em 1970 iniciou uma nova etapa para a empresa. Com o crescimento…

leia mais...
A Curva ABC e sua importância
A Curva ABC e sua importância
29 de março de 2021

Você com certeza já deve ter ouvido falar na Curva ABC, ela é muito utilizada com a finalidade de gerenciar as prioridades de uma empresa, ou seja, funciona como um método de classificação que permite…

leia mais...
Mulheres à Frente das Oficinas e da Indústria Aftermarket de Peças

A matéria a seguir é uma reprodução do site Canal da Peça que sofreu algumas mudanças, o link original você encontra no final do texto.Reparadoras, gerentes e diretoras, as mulheres possuem garra,…

leia mais...
KPI entenda mais sobre essa ferramenta de gestão

O KPI (Key Performance Indicator) é um indicador que pode auxiliar a empresa a ter sucesso. A ferramenta permite um acompanhamento do desempenho de pontos importantes para o negócio, departamento ou…

leia mais...
Comentários Recentes

Trabalhe Conosco

Com o seu talento e competência
como combustíveis, você vai ajudar
a guiar uma empresa sólida e
ambiente de trabalho profissional.
Faça parte da nossa equipe.

Eu quero

Quero ser Cliente

Venha ser um cliente Barros Autopeças
e ter a disposição um dos portfólios
de peças mais completos do país,
promoções exclusivas e uma equipe
pronta à ajudá-lo no que for preciso.

Eu quero
scroll up